Trocando Ideias: Metodologias Ativas

Trocando Ideias: Metodologias Ativas

O aprendizado é um processo constante e que envolve os campos pessoal, profissional e social. Desde o nascimento, aprendemos observando, testando, errando, experimentando. Aos poucos, ampliamos e generalizamos essas experiências num processo indutivo, ao mesmo tempo que também aprendemos a partir de teorias que, depois, testamos na vida real – processo dedutivo (BACICH & MORAN, 2018).

Nas escolas, em geral, há o predomínio da aprendizagem através do processo dedutivo, em que o professor transmite primeiro a teoria para que os alunos a assimilem e tentem, posteriormente, enquadrá-la em algo concreto, que faça parte da vida. Trata-se de uma abordagem importante, porém, cada vez mais notamos que a aprendizagem por questionamento e experimentação (processo indutivo) proporciona uma compreensão mais ampla e profunda, uma vez que traz ao aluno uma participação mais ativa em todo o processo (BACICH & MORAN, 2018).

Neste contexto, ganham força as Metodologias Ativas que, através de estratégias diversas, buscam inserir o aluno no centro do processo de aprendizagem. O professor passa a ter um papel de condutor do percurso percorrido pelo aluno, buscando despertar o interesse, a curiosidade e a relevância do que é estudado/aprendido, orientando processos de pesquisa, trabalhos em grupo e uma série de outros aspectos.

Nas próximas semanas, vamos destacar e aprofundar algumas algumas das metodologias ativas aqui neste espaço: Aprendizagem Criativa Ensino Híbrido Aprendizagem em Equipe Aprendizagem Baseada em Projetos Aprendizagem por Roteiros de Pesquisa

E aí, sobre qual você gostaria de ler mais na semana que vem?

Fonte: MORAN, J. Parte I: A aprendizagem é ativa. In: BACICH, L; MORAN, J. (Orgs.). Metodologias ativas para uma educação inovadora. Porto Alegre: Penso, 2018. Parte I, p.1-25.

Nenhum comentário

Postar comentário

X